Casa de Cultura Mário Quintana

Francine Bastos

A CCMQ representa mais do que um prédio histórico e centro cultural da cidade de Porto Alegre. Ultrapassa os alicerces do antigo Hotel Majestic, lar do maior poeta brasileiro, Mário Quintana.

Carrega em sua essência a cultura local, abriga as mais diversas manifestações culturais, recebendo em seus espaços o teatro, dança, cinema, artes visuais,  música e  literatura.

A CCMQ é palco do maior patrimônio artístico do Estado, em seu majestoso prédio, em estilo barroco. Ela passou por distintos cenários sociais, políticos e crises financeiras, e manteve-se forte. Passou por análises equivocadas e escapou por um triz de se tornar uma lembrança.

Fotos: Roberta Amaral e Arquivos CCMQ

Foi realmente um prazer ter administrado essa Casa. Estou consciente da grande responsabilidade e riqueza que tive em minhas mãos. Atenta à importância de revigorarmos e mantermos sua história, valorizando sua arquitetura e modernizando seus espaços, mantendo a personalidade de seus traços em compasso com as atuais transformações sociais e tecnológicas.

Recebemos diariamente a diversidade em forma de arte. Oxigenamos o que foi feito no passado e que contribuiu para nossa identidade, mas sempre voltados para as necessidades e acontecimentos do momento. Somos contemporâneos e inquietos. 

Em constante aprimoramento de gestão pública e alinhados com as metas de governo, planejamos nossas ações com zelo ao patrimônio dos gaúchos, revitalizando nossa Casa com a aquisição de equipamentos mais modernos para os teatros e demais espaços, acolhendo a comunidade em ambientes confortáveis e bem cuidados.

Foi preciso ser criativos, apontar soluções práticas e viáveis e gerir nossos recursos com a máxima eficiência. 

Conseguimos manter um dialogo genuíno e franco com a comunidade artística, valorizando o quadro funcional (servidores e colaboradores) e atendendo às necessidades e problemas estruturais da Casa. Com a contribuição de todos e união dos nossos esforços conseguimos projetar o seu futuro.

Estamos certos de nossa contribuição e trabalho, reconhecendo o valor do patrimônio artístico e cultural de que dispúnhamos, o que nos deu  o privilegio de fazer parte de uma história de conquistas e vitorias, culturais e institucionais, para nosso Rio Grande.